24 de outubro de 2018

Organização e disciplina para o sucesso profissional e pessoal

Ao iniciarem juntos um grande projeto, um sábio mentor disse ao seu discípulo: “Você precisará de três itens básicos para conseguir chegar ao nosso objetivo.” E o aprendiz, obviamente, perguntou: “Quais são?”. Ao que o seu mestre respondeu: “Disciplina, disciplina e mais disciplina.”

Podemos dizer que esse discípulo somos todos nós e esse sábio são todas as pessoas que chegaram onde queriam, pois não há na história pessoas bem-sucedidas em qualquer área da existência que não tenham se policiado e conquistado suas metas sem terem o mínimo de disciplina e organização.

dicionário Priberam da Língua Portuguesa define organização como o ato ou efeito de organizar, e organizar, por sua vez, é definido como pôr em ordem. Assim sendo, não há como manter uma vida organizada sem estruturá-la, sem criar um sistema que coloque cada atividade em seu devido lugar.

Ninguém se torna uma pessoa organizada da noite para o dia. As grandes mudanças devem começar com pequenos passos para que se tornem hábitos. Caso contrário, serão grandes as chances de fracassar em um projeto de transformação de postura.

A organização e a disciplina são tão importantes para o sucesso porque, sem elas, e com a enorme quantidade de tarefas diárias, não seria difícil se perder e acabar deixando tudo para a última hora.

Como resultado dessa prática, o que surge é a improdutividade. Afinal, quando tudo se torna urgente, corre-se o risco de não fazer as atividades com excelência, há maior desgaste em sua realização e, consequentemente, maior perda de tempo.

Entretanto, o contrário também é válido. Quando uma pessoa é organizada e disciplinada, ela tem um bom aproveitamento do seu tempo, é mais produtiva, evita o estresse e ganha mais qualidade de vida. Portanto, é preciso que o senso de organização prevaleça para que se tenha a capacidade de definir o que precisa ser feito, a ordem em que cada tarefa será realizada e como.

Autocontrole

Observe as seguintes afirmações:

-Eu me concentro apenas no meu trabalho e/ou nos meus estudos. Raramente me ocupo de tarefas básicas como conviver mais tempo com minha família ou assistir a um filme;

-Trabalho e estudo incessantemente. Já é automático, nem paro para pensar no que estou fazendo, pois faço tudo sempre da mesma maneira;

-Não faço distinção entre fins de semana, férias e dias úteis. Para mim, todos os dias são para trabalhar e/ou estudar, uma vez que sempre há tarefas para fazer;

-Quando me perguntam como estou, sempre respondo que estou muito atarefado(a) e que não existem tréguas para mim;

-Ao iniciar meu dia, sempre me perco na quantidade de tarefas que tenho para fazer. Nunca sei por qual delas começar, pois todas são de igual importância.

Se as frases acima lhe pareceram muito familiares, está na hora de repensar o seu dia e assumir o controle de suas ações. Para organizar os estudos e o trabalho, é essencial que se tenha autocontrole. E isso nada mais é do que ter controle de si mesmo e desenvolver a capacidade de gerenciar eficientemente suas emoções e seus desejos.

Desse modo, você obterá o domínio absoluto de suas atitudes, vontades e pensamentos. Como resultado, haverá maior equilíbrio na vida pessoal e profissional, atraindo para si o sucesso.

Benefícios da disciplina

Quem precisa trabalhar e estudar deve manter uma rotina rigorosa para dar conta de fazer tudo sem deixar acumular tarefas, o que muitas vezes parece inviável, visto que diversos acontecimentos podem fazer com que etapas sejam negligenciadas, impedindo uma boa execução do que foi idealizado.

Tais ocorrências podem ser de ordem interna, como a preguiça, ou de ordem externa, como os imprevistos. No entanto, para vencer a procrastinação e a desordem, é preciso mais do que vontade: a disciplina tem que entrar em jogo.

A disciplina é benéfica em vários aspectos. Um indivíduo disciplinado inspira confiança, produz mais e tem mais chances de crescer no mercado de trabalho e na vida acadêmica.

No geral, entendemos disciplina como o ato de obedecer às regras, aos superiores, aos regulamentos e a tudo o que rege uma sociedade. Ela nos é imposta desde crianças. Quem já teve que interromper uma brincadeira para atender a um chamado dos pais, para ir à escola ou cumprir alguma outra obrigação sabe, pelo menos um pouco, o que é ser disciplinado.

No entanto, ao contrário do que alguns pensam, ter disciplina não nos priva das coisas boas da vida, e sim nos permite aproveitá-las com mais intensidade. Ao executar um roteiro, desfrutamos da sensação de dever cumprido quando o finalizamos. Isso faz com que nos concentremos com maior afinco em nossos afazeres, realizando-os com maestria.

Como consequência de um trabalho bem feito, podemos relaxar nos momentos de lazer sem nos preocuparmos com o que poderíamos ter executado de um jeito melhor ou com o que não fizemos. A disciplina nos ajuda a manter hábitos, o que melhora o nosso desempenho.

Autodisciplina

A autodisciplina está para além da disciplina. Isso porque, de certa forma, seguir ordens externas é menos complicado do que seguir o que nós mesmos nos propomos. O ser humano tem uma capacidade incrível de se autossabotar.

Ter autodisciplina implica gerenciar a si mesmo. Ou seja, exige que se tenha a habilidade de se obrigar a seguir com o que foi determinado, independentemente do seu estado mental. É colocar os planos em ação apesar de qualquer eventualidade.

Como um exemplo recorrente disso, podemos citar alguém que deseja entrar na faculdade ou passar em algum concurso e, para tanto, abre mão de algumas saídas com amigos para se dedicar aos estudos.

A autodisciplina é uma ótima ferramenta de desenvolvimento pessoal e é essencial em um processo de reformulação de atitudes. Todavia, não existe mágica. Para desenvolvê-la, é necessário que se tenha paciência e perseverança. Quanto mais você a pratica, mais autodisciplina terá.

Uma outra questão sobre a autodisciplina é que não podemos fazer comparações entre nós e outras pessoas. Cada um tem o seu ritmo, seu cotidiano, sua cultura. E nos comparar com alguém que demonstra ter mais controle sobre si em relação a nós só fará com que o desânimo tome o espaço da nossa determinação. Quando decidimos ser mais autodisciplinados, devemos unicamente acompanhar o nosso progresso e tentar melhorar um pouco mais a cada dia.

Características das pessoas disciplinadas

Pessoas disciplinadas têm características muito peculiares, e tais traços são perceptíveis em seu comportamento. Por vezes, esses indivíduos são vistos como submissos, pois conseguem se submeter à hierarquia, cumprindo com o que lhes é designado sem ter problemas com isso.

A boa administração do tempo é outra marca bem forte nas pessoas disciplinadas. Existem três grandes erros de uma pessoa que não pratica a disciplina. Eles são: não cumprir prazos, chegar atrasada e esquecer um compromisso. Essas falhas afetam a credibilidade de forma difícil de se contornar e podem trazer consequências nos relacionamentos interpessoais. Porém, todas elas são evitáveis por meio de um bom planejamento e o cumprimento desse esquema.

Além disso, pessoas disciplinadas estão sempre preparadas para lidar com situações não previstas, tendo um segundo plano como estratégia de atuação. Abaixo, listamos mais algumas atribuições de sujeitos autodisciplinados:

-são pontuais;

-são persistentes;

-não desistem diante de contratempos;

-resistem a tentações;

-não se deixam distrair.

A vida nos coloca frente a desafios e obstáculos constantemente. Ter disciplina nos permite vencê-los, e essa habilidade nos torna mais autoconfiantes, elevando a nossa autoestima. Desse modo, alcançamos os nossos objetivos com felicidade e satisfação pessoal.

Saber que conquistou a autodisciplina não é difícil. Você entenderá que está no caminho certo quando perceber que deixou de agir precipitadamente ou por impulso, quando conseguir cumprir as promessas feitas a si mesmo e a outros, quando voltar a trabalhar em um projeto, ainda que tenham surgido dificuldades ou quando acordar cedo, mesmo em um final de semana ou feriado, para organizar os estudos e/ou o trabalho. E esses são só alguns exemplos que poderão indicar a sua evolução.